quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

14 Alimentos que Aceleram o Raciocínio



Peixe faz realmente bem para o raciocínio? E as vitaminas do complexo B melhoram também a performance da massa cinzenta? Que alimentos deixam seu cérebro lento? Para responder essa e outras perguntas escrevi o artigo de hoje. Alimentação e Raciocínio, qual a relação? Como podemos melhorar o raciocínio através da comida? Vamos descobrir!


1) Glicose alta, Drogas e Gordura: Antes de falar dos alimentos que melhoram o raciocínio, quero falar de três alimentos que retardam seu cérebro e que podem diminuir o desempenho de seu raciocínio:

Açúcar Refinado: A Glicose é importante para o desempenho do cérebro, pois é sua principal fonte de energia, porém, em excesso, causa o efeito oposto. Fuja de alimentos que causam picos glicêmicos - eles estouram a taxa de glicose no sangue e no cérebro - como o açúcar (principalmente o refinado), massas, cereais refinados e doces em geral. Eles elevam a produção de insulina e de ácido araquidônico, fortes responsáveis pelos processos inflamatórios, que aceleram o envelhecimento e morte das células cerebrais. Metabolicamente, sabe-se que logo após os picos glicêmicos gerados pelo consumo excessivo de açúcar e amidos, é inevitável quadros de hipoglicemia, que é a queda vertiginosa do teor de glicose no sangue. Tal situação desarticula todas as funções sensoriais do cérebro, assim como a sua produtividade, poder de comunicação interna e armazenagem de dados. Tanto que a reação natural de um cérebro em estado de hipoglicemia é o sono.

Drogas: Evite também as drogas que geram produção massiva de radicais livres como é o caso do cigarro, das frituras, do álcool, do café, dos alimentos muito processados e aditivados. Os radicais livres destroem os neurônios e as demais células do organismo.

Gordura: E, por último, evite as frituras e as gorduras de origem animal, que tornam as membranas celulares rígidas e pouco porosas, inviabilizando a fluidez e a qualidade das trocas químicas, tanto de nutrição, como de limpeza orgânica.

2) Batata: Agora que falamos sobre aquilo que retarda seu raciocínio, vamos falar dos alimentos que aceleram. Começando pela glicose da batata. Diferente da glicose do açúcar refinado, a glicose da batata melhora o desempenho do seu cérebro. O cérebro de um adulto consume aproximadamente 20% da energia obtida através da alimentação ao longo de um dia. Quando se trata das crianças, essa porcentagem é ainda maior! Por esse motivo, manter os níveis de glicose no sangue estáveis significa mandar energia constantemente para o cérebro. Níveis saudáveis de glicose podem ajudar também na formação da memória, é o que indica uma longa pesquisa publicada no Neuroscience & Biobehavioral Reviews. Por esse motivo, alimentos ricos em amidos – como batatas cozidas – são uma fonte lenta e estável de energia, já que os carboidratos que eles contêm são absorvidos pelo organismo mais lentamente do que os açúcares comuns. Esse nutriente também afeta o transporte de glicose até o cérebro, que é essencial para prover toda a energia que ele precisa para funcionar.

3) Vitaminas do complexo B: Vitaminas do complexo B, são importantíssimas para o bom desempenho cerebral, elas regulam a transmissão de informações (as sinapses) entre os neurônios. Estão presentes nas sementes e nas fibras dos alimentos integrais.

4) Zinco, Selênio, Ferro e Fósforo: Esses são importantes sais minerais que participam de inúmeras trocas elétricas e mantêm o cérebro acordado e ativo (elétrico). Está presente em todas as sementes e grãos, em raízes e nas folhas verde escuro.

5) Nitratos: Os alimentos ricos em nitratos aumentam a irrigação do sangue no cérebro e são recomendados para quem desenvolve trabalhos intelectuais. Você pode encontrar em: beterraba, repolho, espinafre, nabo e aipo.

6) Lecitina de soja:  A lecitina de soja favorece o bom funcionamento do sistema nervoso e das atividades mentais como: atenção, raciocínio e memória. Recomenda-se tomar  2 cápsulas de lecitina de soja 3 vezes ao dia, num total de 6 cápsulas diárias, ou 3 Gr de lecitina de soja granulada por dia.

7) Nozes: As Nozes de natal são excelentes para o raciocínio, pois contêm alto teor de antioxidantes que combatem os danos causados pelos radicais livres no DNA das células cerebrais. Um estudo publicado no Journal of Nutrition, por exemplo, constatou que dietas compostas por nozes podem reverter com mais facilidade os sinais de envelhecimento do cérebro. Os pesquisadores chegaram a essa conclusão a partir de um teste com camundongos, no qual os animais submetidos à dieta ganharam mais eficiência nas habilidades cerebrais. Em outro experimento, também com cobaias, foi verificada a melhora significativa da memória e da coordenação motora dos animais após o consumo de nozes

8) Semente de cânhamo:  Sementes de cânhamo podem ser ótimas aliadas do cérebro, pois são ricas em ácido alfa-linolênico (ALA). Essa é uma substância importante na produção das membranas das células do cérebro, além de sua ação nas bainhas de mielina, o que acelera a transmissão de sinais e impulsos nervosos. Outros alimentos, como a chia, a linhaça e as nozes também são fontes de ALA.

9) Ômega-3:  O ômega 3, encontrado principalmente nos peixes,  funciona como um anti-inflamatório poderoso, evitando a morte dos neurônios, ao preservar suas membranas. Além disso, colabora para a troca de informações entre os neurônios, ao criar um ambiente ideal para a troca rápida de “mensagens” entre as células do cérebro. Existem somente três fontes naturais: peixes de água fria, sementes de linhaça e prímula. O salmão, em especial, é uma grande fonte de ômega-3, que os pesquisadores acreditam que protege contra a doença de Alzheimer. É também uma das principais fontes na natureza para obter vitamina D, um nutriente que protege contra o declínio cognitivo. Um estudo de 2010 revelou que os idosos que têm deficiência de vitamina D são 40% mais propensos a sofrer de perda de memória relacionada à idade. Melhor comer um salmão, não?

10) Ovo:  O ovo é um dos alimentos mais ricos que existem para o ser humano. ótima fonte de colina, que participa da formação dos neurônios e repara as células cerebrais avariadas. Produz acetilcolina, neurotransmissor fundamental para a memória e o aprendizado. Previne contra a depressão. Além de ser fonte de vitaminas do complexo B, que facilitam a comunicação entre os neurônios.

11) Maçã: A maça é uma das principais fontes de fisetina, composto que favorece o amadurecimento das células nervosas e estimula os mecanismos cerebrais. As maçãs são a fonte principal de quercetina, um químico de plantas antioxidantes que mantém os fluidos mentais protegendo as células do cérebro. A quercetina também defende as células do cérebro de atentados de radicais livres que podem danificar o revestimento exterior dos neurônios e, eventualmente, levar ao declínio cognitivo. Se quiser aproveitar bem, coma as maçãs com casca, local onde se encontra a maioria da quercetina.

12) Amora: Todo mundo sabe que quanto mais velho ficamos, mais difícil fica aprendermos coisas novas. E por quê? Para processar novas informações, as células do nosso cérebro precisam “conversar” umas com as outras. Quanto mais velhas elas ficam, mais inflamam e mais difícil fica para elas se comunicarem. A solução? As maravilhosas amoras possuem potentes antioxidantes conhecidos como polifenóis que diminuem essa inflamação e incentivam a comunicação entre os neurônios, melhorando a nossa capacidade de absorver novas informações

13) Espinafre: As folhas verdes do espinafre possuem nutrientes como folato, vitamina E  e vitamina K, que impedem a demência. Um estudo de 2006 revelou que comer três porções de folhas verdes, vegetais amarelos e/ou crucíferos por dia pode atrasar o declínio cognitivo em 40%. Desses três itens, as folhas verdes são as que mais protegem. Tente regar seu espinafre com um pouco de azeite. Sua gorduras saudáveis aumentam a absorção das vitaminas lipossolúveis E e K.

14) Amêndoas: As amêndoas contém uma grande dose de vitamina E, substância fundamental para combater os efeitos do envelhecimento no cérebro. O nutriente também é importante para a cognição – processo mental que inclui a atenção, memória, aprendizado e outras funções cerebrais. O periódico Neurorehabilitation and Neural Repair publicou os resultados de um experimento que mostrou que a vitamina E pode prevenir danos cerebrais e minimizar dificuldades no aprendizado depois de traumas sofridos no cérebro.

Fontes: André Caldas  /  www.neurosoftware.com.br

Palavras chaves: raciocínio, alimentação, estudo

2 comentários:

  1. somente a batata ,eu acho estranho ,porque ela contem muito acidos graxicos ,que delatam o intestestino ,causando diarreia

    ResponderExcluir
  2. O omega 3 realmente aumentam as sinapses, é show.

    ResponderExcluir